Copa 2014 – Escolha das Cidades

2 de junho de 2009

copa2014
Fazia menos de 1 ano que a Copa de 2006 havia terminado. Era maio de 2007 e 21 cidades brasileiras apresentavam à CBF seus projetos para sediar partidas da Copa 2014, logo após o Brasil lançar sua candidatura. Em agosto do mesmo ano, a Fifa realizou as primeiras inspeções em Brasília, Belo Horizonte, São Paulo, Porto Alegre e Rio de Janeiro. O relatório emitido pela entidade máxima do futebol mundial foi positivo.

O Brasil acabou sendo o único candidato para sediar a Copa 2014 e em 30 de outubro de 2007, a FIFA confirmou em Zurique a sua escolha. Durante o ano de 2008, a grande especulação era se seriam dez ou 12 cidades-sede no torneio. Em janeiro de 2009, Joseph Blatter decretou que seriam 12 cidades. Sua justificativa se deu por conta do Brasil ser um país de “dimensões continentais”. No fim do mesmo mês, a Fifa começou as inspeções às cidades candidatas. Das 21 cidades iniciais, apenas 17 mantiveram sua candidatura.

A escolha das 12 cidades da Copa do Mundo 2014, neste domingo útlimo, trouxe algumas apostas certas e uma ou outra surpresa. Enfim o mistério acabou e o Brasil já sabe quais cidades servirão de palco para o maior espetáculo futebolístico do planeta. O anúncio das 12 cidades que sediarão a Copa 2014 foi feito pelo presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, em reunião do comitê da entidade em Nassau (capital das Bahamas).

Confira a lista das cidades da Copa 2014:

Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Natal (RN), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP).

Das 17 candidatas que estavam na disputa, ficaram fora as cidades de Belém (PA), Campo Grande (MS), Florianópolis (SC), Goiânia (GO) e Rio Branco (AC). Cuiabá levou a melhor sobre Campo Grande na disputa pela vaga do Pantanal, e Manaus superou Belém na briga pela sede da Amazônia. Mas a Fifa garantiu que não deixará as cidades que não foram escolhidas sem eventos ligados à Copa do Mundo. “Essas cidades que não foram escolhidas como sede, terão eventos ligados ao evento. Não podemos jogar em todas as cidades, mas faremos o possível para que todas as regiões possam receber atividades da Fifa”, disse Joseph Blatter.

Mas agora que as cidades já festejaram sua escolha, terão muito trabalho pela frente. O cronograma é curto para se adequarem às exigências de uma Copa do Mundo. Todos os estádios que foram indicados precisarão passar por reformas drásticas e outros terão que ser erguidos do zero. A expectativa é que todos estejam prontos até o fim de 2012. Assim, seria possível utilizá-los na Copa das Confederações de 2013.

Logo após a divulgação das cidades, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, falou sobre o árduo trabalho que as espera. “As cidades escolhidas terão apenas o começo do trabalho, que exige organização, cumprimento de prazos, respeito aos padrões da Fifa e credibilidade. Tenho convicção que as 12 cidades têm noção de sua responsabilidade.”

Entre 8 e 10 de junho a Fifa realizará um seminário com as cidades escolhidas para analisar os projetos detalhadamente. Tendo como base as inspeções realizadas previamente pela Fifa, alguns alertas podem ser feitos. Ricardo Teixeira também comentou sobre o seminário: “Essas 12 cidades já terão um quadro do que terão de fazer especificamente quanto a estádios. Vamos nos reunir com as cidades e com algumas pessoas do governo federal, para encaminhar o projeto. Agora é que está começando efetivamente a Copa do Mundo, portanto se iniciam também as cobranças.

Os projetos têm como objetivo principal atrair o dinheiro da iniciativa privada para viabilizar as reformas e construções de novos estádios, bem como a ampliação da rede hoteleira. Mesmo com muitas promessas antes mesmo da escolha final das cidades, poucas sedes devem conseguir estes investimentos, sobrando para os governos estaduais pagarem a conta. O governo federal ficará responsável pelas obras de infraestrutura e deve anunciar um Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) exclusivamente para a Copa do Mundo de 2014.

Copa do Mundo não é Pan-Americano, é algo muitas vezes maior. Por isso existe uma enorme preocupação com o planejamento das obras por parte do governo federal. No Pan de 2007, no Rio de Janeiro, os gastos finais foram muito maiores do que a projeção inicial, obrigando o governo federal a gastar mais dinheiro do que o esperado para salvar o evento. Por isso, além de deixar todas as cidades em condições de receber a Copa 2014, o desafio é não repetir o que aconteceu.

A final da Copa 2014 será no Maracanã

A final da Copa 2014 será no Maracanã


A Copa de 2014 será a segunda Copa disputada no Brasil. A primeira, a Copa de 1950, não traz boas recordações. Fomos derrotados em pleno Maracanã e perdemos o título para os Uruguaios. Como a final da Copa 2014 será no Maracanã mais uma vez, vamos torcer para a Seleção Brasileira fazer parte dela e dessa vez ser o protagonista, virando de vez essa amarga página da história do futebol.

1 Comentário

Publique seu comentário

  1. victor
    ago 01 at 19:31

    só mais o mineirao

Publique seu comentário