Copa 2010 – França 0x0 Uruguai – Tudo Igual no Grupo A

11 de junho de 2010

França e Uruguai fizeram o segundo jogo do grupo A. Depois do jogo nervoso entre África do Sul x México que terminou empatado, quem vencesse sairia na frente na disputa pelas duas vagas para as oitavas-de-final. As duas seleções se classificaram no sufoco. O Uruguai fez o gol da classificação no final do segundo jogo da repescagem, quando estava deixando a vaga com a Costa Rica. A classificação da França não foi tão heróica, mas foi igualmente difícil. Na repescagem contra a Irlanda, fez um gol ilegal (a famosa mão de Henry) que a colocou injustamente na Copa. Coisas do futebol.

O Uruguai ainda tenta recuperar a confiança e brilho do seu futebol de outrora. Bi-campeão do mundo, a seleção uruguaia tem um discurso ensaiado: “Não viemos a passeio, viemos para brigar pelo título”. Pretensões a parte, o fato é que o time do Uruguai é um pouco melhor do dos últimos anos e a França não é nem sombra da campeã de 98. Perdeu o último amistoso para a China, mas os jogadores desconversaram, dizendo que não passava de treino, jogo é jogo.

Realmente a postura da França parecia diferente no começo da partida. COm boa movimentação, criou a primeira boa chance aos 7 minutos. O rápido Ribery foi ao fundo e cruzou para a entrada de Govou que concluiu para fora.
Com Henry no banco, a maior estrela francesa em campo era Ribery, que fez uma bela temporada no Bayern de Munique. Com disposição ele foi de novo à frente, atuando como um legítimo ponta esquerda, mas dessa vez o cruzamento foi afastado por Lugano.

O Uruguai tentou responder com boa jogada que parou nos pés de Suárez, mas a arbitragem marcou impedimento. No lance seguinte, Evra levou cartão amarelo depois de fazer falta dura em Pereira. O jogo começava quente. Aos 13 Anelka cabeceia firme mas a bola passa por cima do gol uruguaio. A França chegava mais, contrariando a expectativa de retranca e futebol pobre.

Aos 15 a primeira chegada de perigo do Uruguai, com o artilheiro Forlán. O atacante uruguaio fez boa jogada individual e soltou a bomba para a boa defesa de Lloris. Mas a França respondeu logo. Aos 17, Gourcuff cobra uma falta na lateral direto pro gol e o goleiro Muslera tem trabalho em defender a bola que ia no ângulo, espalmando para escanteio. Aos 20 Gourcuff arrisca de novo de fora da área, mas sem perigo para a meta do Uruguai.

Jogo movimentado, com os times tentando tocar rápido para fugir da forte marcação de ambas as partes. Forlán tenta mas para na defesa, no contra-ataque Anelka tenta, mas também para na marcação uruguaia. As defesas ainda levavam vantagem e eram destaque na partida.

Nem Forlán, nem Suaréz, nem Anelka, nem Ribery. Nenhum deles conseguiu superar as defesas com alguma jogada individual ou lance genial. Faltou inspiração. Com tanto destaque para meio-campistas marcadores, laterais dedicados à cobertura e zagueiros bem postados, nada mais foi digno de nota até o apito do juiz para o intervalo de jogo.

França x Uruguai

França e Uruguai - o medo de perder tirou a vontade de ganhar

O primeiro tempo não foi ruim, só careceu de oportunidades claras de gol, muito mais por mérito das desfesas do que por falta de empenho do meio-de-campo e ataque de cada seleção. A primeira metade foi bem movimentada, mas o zero persistia no placar. Teríamos bola na rede no segundo tempo?

Aos 4 minutos da segunda etapa, primeira boa chance do Uruguai. Cobrança de falta de Forlán para a área e Diaby afasta o perigo no meio de dois urugaios. A Celeste se soltava mais e aos 5 Arévalo pega um rebote e chuta para fora. Aos 6 foi a vez de Forlán receber lançamento na área, mas na hora do chute foi travado e a bola saiu por cima da meta de Lloriz.

Aos 8 a França resolve responder e ensaia uma pressão. Boa jogada de Evra, que limpa dois e rola para a bomba de Gourcuff, mas a bola explode em Lugano. Aos, 10, Toulalan arrisca de longe no canto para a defesa segura de Muslera. Evra faz outra boa investida aos 13 e recebe falta dura na lateral esquerda, perto da área uruguaia. Cartão amarelo para Victorino e lance perigoso. Em jogada ensaiada, a bola é rolada na entrada da área para o chute de Ribery que sai sem direção.

O Uruguai consegue respirar um pouco e aos 17 sai Ignacio González para a entrada de Lodeiro. Aos 18 Forlán bate falta direto para o gol, mas Lloris defende no centro da meta. Com apenas 2 minutos em campo, Lodeiro consegue levar cartão amarelo. Aí a famosa catimba uruguaia começou a aparecer. Toulalan deu um carrinho em Pereira e foi punido com amarelo, mas Lugano chegou junto e houve aquele início de confusão.

Enquanto o jogo ficava mais duro, com faltas mais frequentes, Henry se aquecia para entrar na partida. O atacante entrou aos 26 no lugar de Anelka para tentar tirar o 0 do placar. A França já não tinha o mesmo ímpeto e aos 28 o Uruguai tem a melhor chance da partida. Álvaro Pereira cobra lateral dentro área, Suárez desvia e a bola sobra limpa para Forlán. O artilheiro não costuma perder dali, mas para sorte da França ele bate pra fora.

A movimentação nos bancos não para e aos 28 sai Luis Suárez para a entrada do atacante do Botafogo Loco Abreu. Aos 29, Gourcuff sai cansado para a entrada de Malouda. Era o tudo ou nada faltando pouco mais de 15 minutos para o fim da partida, mas França e Uruguai pareciam nao querer arriscar nada.

Malouda, cheio de gás, dispara pela lateral e arrisca bom chute de fora da área. A bola sai à esquerda de Muslera. Aos 35, a primeira expulsão da Copa 2010: Lodeiro, que havia entrado aos 17 e tomado cartão 2 minutos depois, faz outra falta dura em Sagna e toma o segundo amarelo. Cartão vermelhor para Lodeiro, primeiro jogador expulso na Copa 2010.

Aos 38 Henry quase marca de cabeça, mas o bandeira já assinalava posição irregular do atacante. Aos 40, última substituição francesa: sai Govou para a entrada de Gignac. Com menos um em campo, o Uruguai recuou de vez. O empate já era um bom resultado. A França avançou um pouco o time mas as investidas continuavam parando no muro uruguaio. Era ataque contra defesa, em 5 minutos de maior emoção do jogo.

Para reforçar a defesa, o técnico uruguaio tira Diego Peréz e coloca Eguren. A pressão francesa aumentava e aos 43 Henry pede pênalti depois de pegar uma sobra dentro da área. Ironicamente ele pedia mão do jogador uruguaio. Nessa altura, até Loco Abreu já estava na área uruguaia tirando bola.

Aos 46, a última chance da França. Falta de Lugano em Diaby perto da área. Lugano catimba e toma amarelo por reclamação. Henry e Ribery se posicionam para a cobrança da falta. Henry correu, bateu, mas a bola ficou na barreira. Loco Abreu tirou o perigo. Não teve jeito, mesmo com a pressão no final o jogo terminou em 0x0. O grupo A terminou sem líder na abertura da Copa, com as quatro seleções empatadas com 1 ponto cada.

Ficha Técnica de França 0x0 Uruguai

Estádio: Green Point, Cidade do Cabo (AFS)
Data/hora: 30/2/2005 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Yuichi Nishimiura (JAP)
Auxiliares: Toru Sagara (JAP) e Jeong Hae Sang (JAP)
Cartões amarelos: Victorino, Lodeiro, Lugano (URU); Evra, Ribéry, Toulalan (FRA)
Cartões vermelhos: Lodeiro, 36’/2ºT (URU)

URUGUAI: Muslera; Victorino, Lugano e Godín; Maxi Pereira, Diego Pérez (Eguren – 40’/2ºT), Arévalo, Ignacio González (Nicolas Lodeiro – 17’/2ºT) e Álvaro Pereira; Luis Suárez (Sebástian Abreu – 27’/2ºT) e Forlán
Técnico: Óscar Tabárez

FRANÇA: Lloris; Sagna, Gallas, Abidal e Evra; Toulalan, Diaby, Gourcuff (Malouda – 29’/2ºT) e Govou (Gisnac – 39’/2ºT); Ribéry e Anelka (Henry – 26’/2ºT)
Técnico: Raymond Domenech

Publique seu comentário