Jogo de Abertura da Copa 2010 – África do Sul 1×1 México

11 de junho de 2010

A África do Sul acordou respirando Copa do Mundo. Com as mesmas cores que a Seleção Brasileira, o verde e amarelo, os sulafricanos colorem as ruas do país inteiro. As vuvuzelas começaram a fazer barulho cedo nessa sexta-feira.

Ainda eram 7 da manhã quando as barulhentas cornetas começaram a tocar, acordando quem ainda pudesse estar dormindo em Joanesburgo. Os portões do Soccer City, estádio que sediará a partida de abertura da Copa 2010 África do Sul x México foram abertos às 10:30 da manhã (05:30 aqui no Brasil, pelo horário de Brasília!) e uma multidão já se aglomerava para o jogo que só começa às 16h (11h pelo horário de Brasília). Os engarrafamentos já estão imensos na cidade, trens lotados, mas a animação não para.

Torcida nos portões do Soccer City para a abertura da Copa 2010

A torcida chegou cedo para ver a África do Sul estreiar na Copa (foto:Globo Esporte)

A organização da Copa 2010 resolveu distribuir tampões de ouvido para quem vai ao estádio, por conta do ensurdecedor barulho das vuvuzelas. A distribuição é gratuita, mas alguns espertos já estão querendo ganhar dinheiro, vendendo a proteção nas cercanias do estádio pela bagatela de 4 reais. Um outro grupo fechou uma rua inteira e ganha cerca de 12 reais por carro que quer estacionar ali. Um pequeno exemplo do que pode ser a bagunça quando a Copa for aqui, em 2014. Já imaginaram, flanelinhas extorquindo dinheiro dos torcedores com vagas de 20, 30, 50 reais?

Mas o assunto aqui é Copa 2010. Vamos então para a partida inaugural dos donos da casa, África do Sul x México.

Os Bafana Bafana entraram em campo com muita vontade e a torcida não pode reclamar, pois não faltou disposição para compensar as deficiências técnicas do time. O técnico Carlos Alberto Parreira, que substituiu Joel Santana no comando da seleção sulafricana, conseguiu imprimir seu estilo de jogo à equipe, que marcou aguerridamente o ofensivo time mexicano.

A primeira chance de gol da Copa 2010 foi do México. Depois de bom cruzamento, o goleiro tocou na bola que sobrou para Giovani dos Santos, que bateu prensado para fora. O México acuou a África do Sul no começo do jogo, pressionando muito, mas os Bafana Bafana conseguiram segurar e aos 10 minutos já equilibrava o jogo.

Jogo nervoso, como qualquer estreia em Copa do Mundo. Só aos 14 surgiu outra chance de gol. Depois do escanteio, o atacante Franco cabeçeou por cima da meta sulafricana. A essa altura, Parreira já havia adiantado a marcação e começava a dominar o meio-de-campo. O toque de bola no ataque surtiu efeito aos 15, quando Rafa Marques cometeu falta na intermediária. Pienaar cobrou mas a bola passou por cima do gol, sem perigo para o goleiro Oscar Perez.

Aos 17, o primeiro cartão da Copa 2010. Amarelo para Juarez do México, depois de atrasar o ataque sulafricano com um toque de mão. Sinal que a África do Sul melhorava no jogo, depois de um início nervoso. Aos 18, uma bobeira na saída de bola sulafricana proporcionou outra boa chance ao México. Giovani dos Santos penetrou e bateu forte. A rápida Jabulani passou rente ao gol.

Mesmo melhorando na partida, a África do Sul continuava sem ameaçar o gol mexicano. Só aos 22, depois de troca de passes veloz, Mphela consegue chegar ao fundo e bate cruzado para a defesa de Oscar Perez. Animados, os Bafana Bafana chegam novamente chutando de fora da área, mas o chute sai fraco e vai pra fora.

Aos 26, cartão para a África do Sul. Dikgacoi faz falta em Giovani dos Santos e recebe o amarelo. Na cobrança, Rafa Marquez manda por cima do gol. Aos 32 a melhor chance do primeiro tempo: Vela coloca Franco na cara do gol mas o goleiro Khune sai bem e faz boa defesa no chute. Bom para acordar a torcida.

Tocando mais a bola, o México recuperava o controle da partida. Aos 33, Vela, que andava sumido no jogo, aparece novamente. Solto pela direita tinha tudo para descolar um bom cruzamento, mas resolve bater cruzado e a bola passa pela meta sulafricana. Vela entrou no jogo definitivamente. Aos 36, fez tabela com o rápido Giovani dos Santos que chuta prensado. No escanteio gol do México, mas a arbitragem anula corretamente. Vela empurra para o gol em posição de impedimento. Um lance difícil, mas bem marcado.

O México dominava novamente o jogo. Aos 40, Giovani dos Santos bate falta para a área e Franco cabeceia pra fora. A África do Sul precisava respirar e aos 41 parte bem para o ataque. Depois de boa tabela entre Modise e Gaxa, Modise ganha vai ao fundo e ganha escanteio. Começava uma boa pressão.

No escanteio, Oscar Perez desvia e a bola continua sob o domínio sulafricano. Tshabalala cruza na área e por pouco Mphela não alcança de cabeça. A blitz continua com mais dois escanteios, mas a defesa mexicana se segura. Fim do primeiro tempo de uma estreia de Copa razoável. México foi melhor em campo, com chances claras de gol, inclusive tendo um gol anulado, mas deixou o jogo em aberto. A África do Sul mostrou que na base da vontade podia chegar lá.
A única alteração para a segunda etapa foi Masilela no lugar de Thwala. Parece que os dois treinadores gostaram do que viram no primeiro tempo, mas o México parecia ter voltado meio acomodado. A África do SUl se manteve agredindo, como no fim da primeira etapa, e a pressão surtiu efeito.

Aos 8 minutos do segundo tempo saiu o primeiro gol da Copa 2010. Em rápido contra-ataque, Tshabalala recebe a bola no lado esquerdo, avança e solta uma bomba no ângulo. Belíssimo gol, África do Sul 1×0 México.

Tshabalala comemora primeiro gol da Copa 2010

Tshabalala marca o primeiro gol da Copa 2010!

Agora o nervosismo todo passava para o lado mexicano. Aos 11, Torrado leva amarelo depois de cometer falta sem bola. Um minuto depois o técnico resolveu mexer, tirando Aguilar para a entrada de Guardado. Giovani dos Santos, melhor jogador em campo, chamou a responsabilidade e aos 13 deu um susto na torcida sulafricana que ainda comemorava o gol. O atacante deu um belo chute no ângulo e Khune salvou o empate. O jogo finalmente esquentou.

O México avançou e a África do Sul recuou para marcar na sua intermediária e partir rápido em contra-ataque. A tática clássica do Parreira surtiu efeito e aos 20 a seleção sulafricana quase ampliou: depois do chute mascado, a bola sobra para Modise, livre e na cara do goleiro, chutar para fora. Não pode perder gol assim, Modise! É jogo de Copa!

Aos 23 sai Vela para entrar o veterano Blanco. Sua experiência poderia servir para organizar a casa mexicana. Mas a Àfrica do Sul seguia forte na marcação e teve mais uma chance de contra-ataque aos 23. Modise recebe em boa condição mas o zagueiro chegou junto e não deixou o atacante bater firme. A bola saiu fraca e o goleiro pegou, mas Modise reclamou de pênalti. Jogada polêmica.

O gol sulafricano mudou a cara do jogo. O México não conseguia furar a retranca do Parreira e a velocidade dos africanos era aproveitada com saídas rápidas depois da retomada de bola. O México faz sua última substituição aos 27, sai Franco e entra Javier Hernández para tentar tudo no ataque.

Aos 33 o México cala a torcida dos Bafana Bafana. A defesa sulafricana faz a linha de impedimento errada na hora do cruzamento e a bola sobra livre para o zagueiro Rafa Marques, que com calma estufou as redes. Gol mexicano, África do Sul 1×1 México.

Rafa Marquez comemora seu gol contra a África do Sul

Giovani dos Santos comemora com Rafa Marques o gol de empate do México

Gols de África do Sul e México

Gols África do Sul 1×1 México

A partida parecia controlada pela África do Sul, mas um erro primário na defesa custou o empate. Agora o jogo ficava dramático. Mais tranquilo, o México parecia se organizar, acreditando mais uma vez na vitória. O esquema sulafricano se desintegrou e agora era na base da raça.

Mas a deficiência técnica da África do Sul começou a aparecer mais. Perdiam lances bobos e não conseguiam chegar mais ao ataque. Parreira também não ajudou, continua com a velha mania de demorar muito para substituir. Só aos 38 tirou Pienaar para a entrada de Parker.

Aos 44, a última chance para os valentes Bafana Bafana. O goleiro Khune bate para frente e a bola encontra Mphela, que apronta uma correira para cima da defesa mexicana. A zaga não consegue chegar e Mphela invade sozinho, mas o chute bate caprichosamente na trave, para desespero da torcida. Aos 48, o juiz aponta o centro do campo e põe ponto final na partida de abertura da Copa 2010.

Ficha Técnica África do Sul 1×1 México

Estádio: Soccer City, Johannesburgo (AFS)
Data/hora: 11/06/2010 – 11h (horário de Brasília)
Árbitro: Ravshan Irmatov (UZB)
Auxiliares: Rafael Ilyasov (UZB) e Bahadyr Kochrakov (QUI)
Renda/público:
Cartões amarelos:
Dikgacoi, Masilela (AFS); Juarez, Torrado (MEX)
Cartões vermelhos: Nenhum
Gols:
Tshabalala, 9′ / 2ºT (1-0); Rafael Márquez, 34′ / 2ºT (1-1)

África do Sul: Khune, Gaxa, Mokoena, Khumalo e Thwala (Masilela, intervalo); Letsholonyane, Dikgacoi, Modise, Pienaar (Parker, 38′ / 2ºT) e Tshabalala; Mphela. Técnico: Carlos Alberto Parreira.
México: Perez, Aguilar (Guardado, 10′ / 2ºT ), Rodriguez, Osório e Salcido; Juarez, Rafael Márquez e Torrado; Giovani dos Santos, Vela (Blanco, 22′ / 2ºT) e Franco (Hernandez, 27′ / 2ºT). Técnico: Javier Aguirre.

Publique seu comentário