Brasil x Peru – vencer é mais do que obrigação

31 de março de 2009

Amanhã será um dia de decisão. A tensão paira no ar que a Seleção Brasileira tem respirado. Dunga e a comissão técnica tenta disfarçar, dizendo que o empate contra o Equador foi um bom resultado. Vamos amolecer um pouco, até foi se considerarmos as adversidades. Viagem longa, altitude que castiga os pulmões e a equipe adversária motivada, jogando a partida de sua vida. Mas o problema, a cisma é pela forma como o Brasil. O placar justo seria uma goleada equatoriana, o goleiro Júlio César salvou o time de um verdadiro vexame. O arqueiro foi o melhor jogador em campo, numa atuação memorável.

Agora só uma vitória convinvcente para apagar a péssima impressão da Seleção de Dunga. A torcida gaúcha, que estava empolgada com a partida entre Brasil e Peru, agora está desconfiada: “Eu sou vou ao jogo porque meu ingresso foi comprado semana passada, senão pensaria duas vezes. Aquele jogo contra o Equador foi uma vergonha”, comentou um torcedor vestido com o camisa do Inter.

Aliás, esse é outro assunto que merece um parágrafo. Brasil e Peru será no Beira Rio, casa do Inter, rival mortal do Grêmio. Todos já pegam no pé de Ronaldinho Gaúcho: “Ele jogou muito mal, já vem jogando mal faz tempo. Vai ser muito vaiado aqui pela torcida colorada!”, afirmou outro torcedor do Inter. Ronaldinho desconversa: “Nem penso nisso (em ser vaiado pela torcida do Inter). Já joguei algumas vezes no Beira-Rio desde que saí do Grêmio e não tive problemas. E posso dizer que será uma alegria muito grande voltar lá para jogar pela seleção brasileira”.

Ronaldinho Gaúcho desconversa sobre possíveis vaias coloradas

Ronaldinho Gaúcho desconversa sobre possíveis vaias coloradas


Mas o destino do jogador que quer recuperar seu status de craque deve ser o banco. Kaká está de volta, depois de ser poupado contra o Equador e deve tomar a vaga de Ronaldinho Gaúcho. Sob o comando de Dunga, Ronaldinho jogou 19 partidas das 37 disputadas pelo Brasil e marcou 5 gols. Ao todo, foram 91 partidas pelo Brasil. O jogador de 29 anos acredita em nova fase: “Estou me sentindo bem. Estou muito feliz no Milan e pela Seleção, disputo uma competição importante. Está tudo se encaixando novamente”.

Outro integrante da seleção que anda muito animado é Júlio Batista, autor do solitário gol brasileiro em Quito. O jogador mal tinha entrado em campo e marcou depois de dar seu primeiro e único chute no jogo. Ele acha que a atuação e o gol importante ajudaram a ganhar mais ainda a confiança de Dunga: “É importante que o Dunga tenha mais confiança em mim, e estou conseguindo isso. Como todo jogador, eu gosto de jogar. Fiquei no banco esperando meu momento de entrar e fiquei feliz por poder contribuir com um gol”. O objetivo de todos os convocados é mostrar serviço e garantir uma vaguinha nos 22 que irão para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul: “Procuro sempre demonstrar o melhor em campo. É preciso ser paciente, pois a seleção é repleta de grandes jogadores. O importante é que, quem jogar, faça a o seu máximo”, concluiu Júlio Batista, sem querer criar polêmica sobre uma possível escalação como titular no meio campo.

Mas mesmo com toda essa “vontade” dos jogadores brasileiros, ainda falta a classificação para a Copa 2010 e pior ainda, faltam vitórias em casa. Os últimos três jogos do Brasil perante sua torcida foram três retumbantes 0 a 0, por isso o jogo de hoje adquire tons dramáticos. A vitória não só quebraria esse jejum do torcedor brasileiro como também faria Dunga respirar, mesmo que só um poquinho mais aliviado.

Dunga brinca com seu filho caçula no Beira Rio, palco de Brasil x Peru

Dunga brinca com seu filho caçula no Beira Rio, palco de Brasil x Peru


Não perca amanhã a cobertura do jogo do Brasil. Brasil e Peru às 21 horas e 50 minutos no Beira Rio, Porto Alegre. No fundo, nós só queremos torcer e vibrar. É pedir muito?

Publique seu comentário