Brasil 5×1 Tanzânia – Gols e tudo sobre o jogo

7 de junho de 2010

O Brasil entrou em campo para enfrentar a Tanzânia escalado com Gomes, Maicon, Lúcio, Juan, Michel Bastos, Felipe Melo, Gilberto Silva, Elano, Kaká, Luís Fabiano e Robinho. É o time titular do Brasil, com exceção do goleiro Gomes, que entrou no lugar de Júlio César. O goleiro titular da seleção ainda se recupera da contusão sofrida no último amistoso contra o Zimbábue. De novidade, Juan entrou na zaga. Sem jogar há muito na zaga brasileira, Dunga mostrou que ele ainda é titular absoluto. Michel Bastos, depois de assustar com uma possível contusão, entrou como titular.

O amistoso é mais um caça-níqueis da CBF. Depois de receber 2 milhões para jogar contra o Zimbábue (mesmo com uma ditadura de 30 anos que afunda o país na miséria), a CBF engorda mais uma vez seus cofres contra a Tanzânia. Pelo menos por lá o regime é democrático, o que envergonha um pouco menos nós brasileiros. A seleção tanzaniana havia jogado no dia anterior contra Ruanda (perdeu por 1×0) e chegou ao país poucas horas antes do jogo, sem descansar nada. Então é uma partida que pode ser considerada como um treino de luxo. E adiantou? Para alguns jogadores, foi bom. Acompanhe o raio-x da partida.

Gols de Brasil e Tanzânia:

Gols Brasil 5×1 Tanzânia

A Tanzânia utilizou o pouco de gás que ainda tinha e aplicou uma correria no comecinho do jogo. Chegaram a ameaçar com um cruzamento cortado por Lúcio que raspou a trave de Gomes, aos 7 minutos. Logo depois, aos 10, Robinho matou um lançamento no braço. O bandeirinha marcou, mas o juiz ignorou e deixou a jogada seguir. A bola bate em Kaká, sobra novamente para Robinho que chuta cruzado no canto do gol. Brasil 1×0.

A seleção da Tanzânia, escalada com três atacantes (seria um pedido de Dunga, já que a comissão técnica da Tanzânia é brasileira?) não sentiu o gol e continuou agredindo. Felipe Melo, totalmente desligado da partida, dava espaços no meio e os tanzanianos chegavam com perigo. Aos 12 Gomes faz boa defesa em chute de fora da área. Aos 21 o goleiro da Seleção Brasileira faz outra defesa depois da bomba de Ngassa, salvando o empate. Aos 23, Ngassa entra como quer mais uma vez e rola para Mgosi chutar rente ao travessão.

Só aos 23 o Brasil voltou a ameaçar em cobrança de falta. Michel Bastos bateu forte buscando o ângulo direito de Mwarami. Aos 27, Kaká faz bom lançamento para Maicon, que toca na entrada da área para Robinho. O atacante brasileiro pega de primeira mas a bola passa por cima da trave. A essa altura o gás dos tanzanianos acabava e o Brasil conseguia ficar mais com a posse da bola. Aos 30 Robinho consegiu arrancar vaias depois de um chute horrendo. Mesmo dominando, o Brasil jogava mal.

A Tanzânia voltou a ameaçar aos 31, depois de uma inversão de jogada errada da Seleção Brasileira. Ngassa pegou e bola mas chutou mal para a defesa de Gomes. No ataque seguinte do Brasil, Luís Fabiano protagoniza um lance que não é de seu feitio. O zagueiro da Tanzânia protegia a bola que saía pela linha de fundo quando o atacante brasileiro deu um empurrão com força desproporcional. O lance renderia no mínimo um cartão amarelo na Copa, mas no amistoso o juiz ficou apenas na conversa.

Primeiro gol de Robinho contra a Tanzânia

Robinho chuta cruzado para abrir o placar (foto:AFP)

Logo depois, aos 33 Robinho faz o segundo do Brasil, finalmente. Michel Bastos cruzou pela esquerda, a zaga não cortou e a bola chegou fácil para Robinho completar para o gol. Brasil 2×0.

Luís Fabiano perdeu boa chance aos 40 e a Tanzânia ainda arriscou um bom chute que Gomes teve trabalho em defender. Kaká sofreu uma entrada por trás no finalzinho e não gostou. Colocou a mão no tornozelo, mas na saída de campo disse que estava tudo bem e que jogaria mais um pouco no segundo tempo.

Mesmo com 2×0 a favor do Brasil, o melhor do primeiro tempo foi o goleiro Gomes. Exigido várias vezes, mostrou que é um substituto a altura de Júlio César, caso tenha que jogar. Fez boas defesas e mostrou segurança. Robinho fez dois gols, mas juntamente com o resto do time, estava em ritmo de treino.

Mas pior que estar em ritmo de treino, a Seleção Brasileira demonstrou que ainda não tem ritmo de jogo. A poucos dias da estreia na Copa 2010, é motivo para ficarmos preocupados, mesmo que a primeira partida seja contra a fraca Coréia do Norte. Vale lembrar que o grupo do Brasil é duro, com Costa do Marfim e Portugal, então uma goleada na Coreia é essencial, pois caso haja um tropeço brasileiro o saldo de gols pode ser a diferença.

Gomes ser o melhor do primeiro tempo, quer dizer que a fraquíssima Tanzânia ameaçou o sistema defensivo brasileiro, que demonstrou falhas grosseiras. Logo o setor que todos achava que era o ponto forte da Seleção.

O Brasil voltou para o segundo tempo com algumas alterações. Era a chance de colocar os reservas para jogarem. Foram logo 4 de uma vez: Ramires entrou no lugar de Felipe Melo (que teve participação pífia), Gilberto substituiu Michel Bastos na lateral esquerda (e na nosssa modesta opinião deveria ser titular), Luisão entrou no lugar de Lúcio e Josué no lugar de Gilberto Silva.

Pelo menos o pessoal que entrou deu uma animada na partida. Aos 2 Maicon teve ma boa chance mas chutou com displiscência. Aos 4, escanteio e a bola acha Kaká, que meio no susto cabeceia para fora. Aos 7 Ramires disparou pelo meio e arriscou. O goleiro Mwarami ainda tocou na bola mas não conseguiu evitar o terceiro gol brasileiro. Brasil 3×0 e primeiro gol de Ramires pela Seleção Brasileira.

Melhorou um pouco a movimentação do time, mas a defesa ainda sofria com investidas da cansada Tanzânia. Dunga tira Elano e coloca Daniel Alves aos 14, esperando recuperar o meio-campo. Aos 21, Juan erra domínio de bola e dá boa chance para Ngassa fazer o gol, mas Gomes faz boa defesa.

No ataque, Kaká se adianta tentando fazer seu golzinho. Depois de duas chances, ele marca o quarto do Brasil. Maicon cruza e Kaká escora de peito para o gol. Brasil 4×0.

Dunga aproveita e tira Luís Fabiano para a entrada de Nilmar. O Fabuloso pareceu irritado durante a partida, talvez pelo jejum de gols. Teria sido bom ele ter marcado para ficar mais confiante antes da estreia na Copa.

Aos 34 Nilmar arranca e deixa Ramires na cara do gol, mas ele perde a chance de fazer seu segundo gol. Aos 40 a Tanzânia volta a ameaçar, com um belo chute de fora da área. Gomes espalma para córner e aí o vexame acontece. Aziz sobe livre para cabecear, sem chances de defesa para Gomes. Gol da Tanzânia. Momento histórico para os tanzanianos.Depois de mais de 9 horas sem tomar gols, a defesa brasileira é vazada pela Tanzânia. É amistoso, é treino, mas está na hora de ligar o alerta vermelho. A irritação de alguns jogadores brasileiros ficou aparente. Daniel Alves sofreu uma entrada e deu um leve soco no seu marcador.

A sorte é que o Brasil fez mais um para acalmar os ânimos. O próprio Daniel “nervosinho” Alves levantou a bola para a área e Ramires cabeceou para fazer seu segundo gol na partida, fazendo Brasil 5×1. O juiz apitou o fim de jogo e mesmo com o quinto gol Daniel Alves saiu de cara feia por conta da entrada que levou. Foi válido? Até foi, para alguns jogadores. Kaká foi o maior beneficiado, junto com Ramires. Kaká pegou um pouco mais de ritmo de jogo e Ramires mostrou ser uma boa opção, entrando bem e marcando dois gols. Gomes jogou muito bem, trabalhou bastante, mostrou segurança. Mas a vaga é de Julio César. Pelo menos sabemos que temos um reserva a altura.

Brasil x Coreia do Norte é dia 15, então Dunga ainda tem uma semana para treinar. E o Brasil precisa mesmo de muito treino ainda. Jogando esse futebol atual, a estreia pode ser bem complicada. A esperança é que o time consiga ganhar um pouco mais de conjunto nessa semana e entre com muita disposição, o que não se viu nesses amistosos. Tudo bem, ninguém precisava doar seu máximo nesses jogos arrumados pela CBF, mas contra seleções tão inexpressivas também não precisavam jogar tão mal assim.

FICHA TÉCNICA BRASIL 5X1 TANZÂNIA

Estádio: Benjamin Mkapa, Dar as Salaan (TAN)
Data/hora: 7/6/2010 – 12h (de Brasília)
Árbitro: Mohammed Sseggonga (UGA)

Cartões amarelos: Kelvin (TAN); Felipe Melo (BRA)
Cartões vermelhos: Não houve
GOLS: Robinho, 9′ e 33’/1ºT (0-2); Ramires, 7’/2ºT (0-3); Kaká, 30’/2ºT (0-4); Aziz, 40’/2ºT (1-4); Ramires, 47’/2ºT (1-5)

TANZÂNIA: Mwarami, Shadrack (Kanoni, 27’/2ºT), Harubi, Kelvin e Mwasika; Abdoulharin (Aziz, 32’/2ºT, Erasto (Bakari, 36’/1ºT) e Nizzar; Kig, Migosi (Bocco, 13’/2ºT) e Ngassa.Técnico: Márcio Máximo.

BRASIL: Gomes, Maicon, Lúcio (Luisão, intervalo), Juan e Michel Bastos (Gilberto, intervalo); Gilberto Silva (Josué, intervalo), Felipe Melo (Ramires, intervalo), Elano (Daniel Alves, 14’/2ºT), Kaká e Robinho; Luis Fabiano (Nilmar, 31’/2ºT). Técnico: Dunga.

1 Comentário

Publique seu comentário

  1. jessica mylena
    jun 07 at 20:34

    eu adorei a seleção brazileira eu amo muito kaka e quero que der tudo serto com ele a te chegar a copa

Publique seu comentário