Postagens da Categoria: História das Copas

Copa do Mundo 1974 – O “Carrossel Holandês” é vencido pelo “Futebol Total”

6 de março de 2009

Após conquistar o tri campeonato em 1970, a Seleção Brasileira passou por uma renovação. Do time titular de 70, só permaneceram na seleção Piazza, Rivellino e Jairzinho. O Brasil, sem Pelé, Gérson, Carlos Alberto Torres, Tostão e Clodoaldo, não era nem sombra do super time de 1970. Zagallo, novamente técnico da seleção, montou um time muito preocupado com a defesa. O time suou para empatar contra a Iugoslávia e Escócia e ganhar do adolescente Zaire por 3 a 0, na medida para se classificar.

Copa do Mundo 1970 – Brasil Tri Campeão

6 de março de 2009

Muitos discutem qual é a melhor Seleção Brasileira de todos os tempos, a de 1970 ou a de 1982? O fato é que poucos podem se comparar aos craques dessa geração, que conquistava o tri para a nação brasileira. Uma Seleção inesquecível, considerada a melhor do mundo até hoje. Félix, Carlos Alberto, Brito, Piazza, Everaldo, Clodoaldo, Gérson, Jairzinho, Tostão, Rivellino e Pelé foram treinados por Zagallo (que assumiu o posto depois da contoversa saída de João Saldanha) e conquistaram a terceira Copa do Mundo para o Brasil.

Copa do Mundo 1962 – Brasil Bi Campeão, A Copa de Garrincha

19 de fevereiro de 2009

Com Pelé se machucando logo na primeira partida, coube a Mané Garrincha assumir o comando do espetáculo com atuações soberbas, conduzindo o Brasil ao bi campeonato mundial. Imprevisível, mágico, explosivo. Garrincha era tudo isso e muito mais. Com seus dribles lendários, o “anjo de pernas tortas” levou o Brasil nas costas na Copa de 62. A Seleção se classificou em primeiro na fase de grupos, eliminando a Inglaterra nas quartas e os donos da casa nas semifinais. Pode-se dizer que o Brasil só decolou mesmo a partir das Quartas quando Garrincha chamou para si a responsabilidade e dizimou o English Team: Brasil 3 a 1 Inglaterra.

Copa do Mundo 1958 – Brasil Campeão, O Triunfo Canarinho

19 de fevereiro de 2009

A Copa do Mundo de 1958 foi a sexta Copa do Mundo disputada, e contou com a participação de 16 países. A competição só crescia e 51 países participaram das eliminatórias. A Copa de 1958 é um marco para nós brasileiros. A Seleção Brasileira deixava de ser uma promessa e conquistava o mundo. A Seleção Canarinho não era apontada como uma das favoritas. Alemanha, Hungria, Suécia, Inglaterra, Tchecoslováquia, União Soviética e França dividiam a atenção dos cronistas esportivos. O Brasil, depois do vice em 1950 e da fraca campanha em 1954 era visto com desconfianças. O consenso geral era de que o Brasil poderia beliscar um 6º lugar, no máximo. Porém era a hora do mundo descobrir Garrincha, Didi e tantos outros craques. Era a hora da hegemonia brasileira no futebol começar. Era a hora do mundo ver o nascimento do Rei Pelé.

Copa do Mundo 1954 – O Milagre de Berna

18 de fevereiro de 2009

Era o ano do 50º aniversário da FIFA, portanto era apropriado que a competição máxima do futebol fosse jogada no país de seu órgão maior, e a Suíça foi escolhida como anfitriã em julho de 1946. Pela primeira vez uma Copa teve cobertura pela televisão, e moedas comemorativas foram cunhadas por causa do evento. Foi um mundial dominado amplamente pela fantástica equipe húngara, campeã olímpica de 52, composta de craques como Ferenc Puskás, Nándor Hidegkuti, József Zakariás, Sándor Kocsis, Zoltán Czibor, dentre outros. Mas existiam outras seleções fortes como o Uruguai bicampeão mundial, o Brasil (que tentava se recompor de 50 com Didi e Julinho Botelho), a Alemanha Ocidental (com Fritz Walter e Helmut Rahn). Mas a Hungria era a favorita para a conquista da Copa de 1954. A Seleção Húngara, comandada por Puskas, estava 4 anos invicta (31 jogos). Mas como o futebol realmente é uma caixinha de surpresas, a potência Húngara caiu diante da Alemanha na final, mesmo depois de ter derrotado a própria Alemanha na fase de grupos por 8×3. Na Alemanha, esta partida é conhecida como o Milagre de Berna. A Seleção da Hungria entrou para o seleto grupo de grandes seleções que deveriam ter sido campeãs e acabaram morrendo na praia.