Brasil 0x0 México – um jogo difícil, e ruim

17 de junho de 2014

O Brasil costuma ter dificuldades quando enfrenta o México. A escola mexicana sempre consegue encaixar bons jogos contra o Brasil. Vide recentemente a final Olímpica em Londres, onde o México foi campeão olímpico em cima do Brasil de Neymar, dirigido ainda por Mano Menezes. Por isso sabíamos que o jogo entre Brasil x México, válido pela segunda rodada da Copa 2014, não seria nada fácil. Vencendo, o Brasil asseguraria de forma antecipada a classificação para as oitavas-de-final, mas o México entrou disposto a vender caro a derrota.

O Brasil entrou em campo com o mesmo time que enfrentou a Croácia, com exceção de Hulk, que sentiu nos treinos e foi substituído por Ramires. Júlio César no gol, David Luiz e Thiago Silva na zaga, Daniel Alves e Marcelo nas laterais, Luiz Gustavo, Paulinho, Oscar e Ramires no meio e Neymar e Fred no ataque. A diferença é que Ramires é mais um volante, sai um atacante – Hulk – e entre mais um jogador de marcação. O ideal seria colocar Bernard ou William na vaga de Hulk, que é o reserva imediato, mas isso já demonstrava a preocupação de Felipão com o México. Foi a desculpa perfeita para escalar um meio-campo ultra defensivo. O lado positivo é que o meio-campo ficaria mais povoado, coisa que faltou contra a Croácia. Mais posse de bola, com Ramires encostando mais nos atacantes e fazendo uma melhor ligação.

Brasil x Mexico copa 2014

O Jogo

O jogo começou com o Brasil tentando pressionar, mas o México controlou bem as ações do Brasil. Paulinho, mais uma vez, jogou mal, foi o pior em campo. Thiago Silva foi o melhor jogador do Brasil no primeiro tempo, o que evidenciou que a seleção não conseguiu jogar com muito volume no ataque. O México seguiu marcando bem e o Brasil continuou tendo dificuldades de saída de bola, mesmo com o meio-campo mais povoado. A seleção mexicana criou boas oportunidades e o Brasil terminou o primeiro tempo mais uma vez jogando mal. As melhores chances do Brasil foram uma cabeçada no canto de Neymar – com grande defesa de Ochoa – e um passe magistral de peito de Thiago Silva, que serviu Paulinho, mas o meia desperdiçou a chance chutando em cima do goleiro mexicano.

No segundo tempo o Brasil voltou com Bernard no lugar de Ramires, que tinha levado cartão amarelo. A tentativa era de consertar o time, com Bernard jogando na faixa de campo que era do Hulk, mas o certo, ao nosso ver, era ter colocado Willian. O México voltou com o mesmo ímpeto e o futebol brasileiro continuou inexistente, levando inclusive uma certa pessão e com o México dominando o jogo. O melhor momento do Brasil aconteceu a partir dos 22 minutos, quando Jô entrou no lugar de Fred. Ele passou a sair mais da área, e o resto do time ficou mais agrupado, conseguindo ficar mais coma bola e trocar mais passes. Era o mínimo, mas não foi o suficiente. O Brasil teve mais duas chances apenas, uma com Neymar e outra com Thiago Silva, de cabeça. Ambas as bolas pararam nas mãos do seguro Ochoa.

No final, Chicharito Hernández entrou e ainda deu um baita trabalho. Thiago Silva foi obrigado a fazer falta dura no atacante após ficar no mano a mano com ele. Cartão amarelo para o melhor jogador do Brasil em campo, que quase teve sua atuação coroada com a bola de cabeça que Ochoa defendeu. Pra completar a lambança que Felipão promoveu na escalação e armação do time, o “técnico” só colocou Willian com 37 minutos da segunda etapa, quando deveria ter voltado para o segundo tempo já com ele em campo. No finalzinho do jogo, Júlio César teve trabalho e fez cera ao bater os tiros de meta. Sinal de que o Brasil estava satisfeito com o empate.

O fato é que o Brasil jogou muito mal, o que evidencia como Felipão é um técnico ruim, que não consegue escalar e treinar o time e não tem alternativas quando precisa mudar um jogo. Hernanes deveria ter entrado de cara no lugar de Paulinho, assim como Willian (nosso preferido) ou Bernard no lugar do Hulk. Falta compactação ao time, para melhorar a saída e o toque de bola. É o mínimo para o Brasil poder começar a criar jogadas e exibir um futebol decente, porque com esse futebol apresentado não passa nem das oitavas-de-final.

Agora o México embolou o grupo A, dividindo a liderança com o Brasil, ambos com 4 pontos. A sorte do Brasil é ter mais 1 gol de saldo, o que não aconteceria se a arbitragem não tivesse garfado o México contra Camarões, anulando 2 gols legais. O placar do jogo seria 3×0 para o México, que agora seria líder do grupo. O Brasil decide sua classificação contra Camarões, o México joga contra a Croácia. Antes, Camarões e Croácia se enfrentam para completar a segunda rodada do grupo A.

Brasil x México Copa 2014 – Debate Pós jogo

estee lauder

3 Comentários

Publique seu comentário

  1. Luiz Fernando Medeiros de Carvalho
    jun 18 at 13:04

    Gostei muito do Debate pós-jogo. Aprendi muito com os comentaristas. Gostei das estratégias sugeridas para as próximas partidas, a partir dos jogadores convocados. A sugestão de liberar os jogadores reservas para outras funções, diferentes das já determinadas, é perfeita. Gostei muito também do vídeo mostrando a torcida dos comentaristas em casa com o seu pessoal. Linguagem espontânea e emocional, como deve ser. Valeu! Gostaria de saber o nome dos três excelentes comentaristas. Muito obrigado. Luiz Fernando

  2. JORGE EVARISTO DIAS
    jun 19 at 00:33

    O povo brasileiro não se assustam, o futebol brasileiro é isso aí mesmo, um País sem Craques. Só o Felipão acha que oFred joga bola. 2012, 2013 e nesse início de 2014, o Fred é o pior jogador do Fluminense, ele consegue ser pior que o Gum. Nossa Seleção com Kaká, Robinho, Ronaldo Gaucho, foi uma porcaria, sem eles ficou muito pior. Se ganhar a Copa é + por fragilidade dos outros Países.

  3. JORGE EVARISTO DIAS
    jun 19 at 00:37

    desculpa acma , eu sou torcedor do Fluminense, quem dizer que Fred, Marcelo, Paulinho, Ramires , são jogadores de Seleção, não entende nada de futebol. Se eu pdesse, VEJA, Fred, Gum e Diguinho, não jogavam no meu Tricolor.

Publique seu comentário